segunda-feira, 16 de julho de 2012

Luna e Gabriele


"Heey Gui, tente me fazer rir", Eu disse enquanto ficava séria na web, "PUDIM", ele disse absolutamente do nada. No fim das contas nós dois rimos sem parar. Fiquei feliz de saber que eu não era a única retardada do mundo que achava a palavra "pudim" hilária.

Essa situação aconteceu esses dias, foi extremamente fofo e bobo. Às vezes situações que vivemos no mundo online acabam sendo mais memoráveis e divertidas do que as do offline. É normal que a postagem de hoje acabe ficando longa, compensando os dias que eu não postei nada. As histórias que eu tenho para contar hoje serão bem interessantes para o pessoal que joga MMORPG e semelhantes, aproveitando as ideias que eu tive por causa do anime Sword Art Online. Eu passei todos meus anos até hoje tendo duas vidas: a da Gabriele e a da Luna.

Sim Bruno, você continua emo
Lovers, minha primeira Guild <3
Meus pais colocaram banda larga em casa em 2008, desde então parei de assistir TV e comecei a explorar a internet. Passava metade do dia praticamente nessa vida de Luna, que eu acabei adotando pra mim de nickname quando conheci meu primeiro MMORPG, Lunia. Minha primeira char nunca irei esquecer, era uma sacerdotisa, Lunamel. Não guardei nenhuma print dela e por motivos bobos a exclui depois de um tempo. Voltei para o Lunia com outro nick, Suzumyia, na qual fiz vários amigos e passei por muitas coisas. 


Suzu com set de aparência cash Salão Rosa *-*

Bruh emo, eu e Kansei ^-^
Acabei parando e voltando com o Lunia várias vezes, muitos amigos continuavam, enquanto alguns eu perdia o contato. Então acabei mudando para outra personagem, uma Dark Eir, sacerdotisa das trevas, Fleurelly. Foi minha última personagem nesse jogo, mas que significou tanto para mim quanto as outras. Foi no Lunia que abandonei a linguagem “internetês” e comecei e escrever certo, por influencia de um amigo de lá. Por causa do Lunia passei muitas noites chorando por paixonites e amores não correspondidos. Era engraçado como acabamos levando as vidas que levamos nesses jogos tão a sério. As amizades acabam ficando tão fortes quanto as reais e por mais que seja por uma tela, as aventuras também.

Nesses intervalos de tempo eu joguei vários outros MMOs, mas por pouco tempo. Logo depois que eu disse "adeus" ao Lunia pela última vez, entrei no jogo que mais ficou gravado em mim e mais me conquistou: Aika.
Meilleure: Minha tortinha de limão =3
Vários amigos meus do fórum que participo até hoje estavam jogando, então acabei indo junto. Esse foi o jogo que definiu meu nick "oficial" em jogos, Meilleure. Tirei ele do mangá Sugar Sugar Rune, é o sobrenome da personagem principal. Criei uma sacerdotisa, como em todos os RPGs que jogo. Sobre o Aika, pode parecer bobo, mas quando me lembro hoje de tudo o que eu passei lá começo a chorar. A maneira que o jogo acontecia e o jeito que os jogadores tratavam isso parecia fazer ele ser realmente outro mundo. Era o lugar onde eu me sentia mais a vontade, sempre fui envergonhada de falar no TS e coisas assim. Lá era diferente, eu me sentia feliz com todos meus amigos e não tinha medo de dar minha opinião. Me sentia viva. Eu sempre fui muito insegura em relação à build, em aprender por minha conta as skills e quais eram boas e não. O Aika foi o único game que eu me sentia segura e decidida sobre as skills, conseguia montar várias builds e a minha própria, sendo boa com ela, o que foi uma grande conquista pra mim. Infelizmente os brasileiros tem o belo talento de estragar tudo o que colocam as mãos. O jogo acabou ficando lotado de hackers, desanimando muito. No começo muitos de nós não queria acreditar, tentando arrumar explicações de bugs do próprio jogo, mas com o passar das semanas era impossível ignorar a existência dos hacks. Se eu começar a me aprofundar nas histórias e citar nomes, vou acabar fazendo um grande post sobre minha época no Aika, que na minha opinião, merece um post próprio mais tarde. Nunca mais achei um lugar como o Aika.

Meilleure: Minha sacer élfica
Depois de um tempo vagando sem rumo (HUASUHSAHU le- drama), comecei a jogar Irís Online, onde me diverti muito e era inseparável em relação a Fannye. A época no Iris foi curta, mas rendeu boas risadas por causa do maldito Ctrl + V (quem jogou entende a dor), tinha um bug que o que estava no seu Ctrl + V aparecia do nada quando você escrevia a letra "V", não dava tempo de perceber que as coisas apareciam antes que você apertasse enter *vergonhaoverpower*.

Por fim, o último MMO foi Forsaken, comecei no Open Beta e fiquei extremamente triste por o limite de letras para o nome do char ser 8 UHASHUASUHUHSASA. Acabei colocando o nome da minha pran do Aika na minha sacer elfa, Lafleur (vulgo La Folha).
Fannye e eu
Fannye estava jogando comigo e outros amigos. Ficávamos até tarde em conferencias no skype e "pescando" UHASUHSAHUASHUSA. Não posso deixar de citar o dia que mais me emocionou no Forsaken. Era o leilão das bases, várias guilds tinham chance por serem muito cashers e terem ajuda da guild que tinha mais elementos que torravam um dinheiro que nem em sonhos eu imaginava. Estávamos em muita desvantagem, faltava pouco para acabar e a liderança jogou a seguinte proposta no TS "Se vocês querem a base, deem todo o dinheiro que vocês tem no inventário, agora!", todas as pessoas da guild se mobilizaram e juntaram o que podiam, fizeram quests que davam dinheiro e lutaram. Perto do horário demos o lance e ficamos todos na mesma sala do TS, brincando e conversando para descontrair, todos estavam muito nervosos. O horário havia chegado, não deram mais lances à tempo por cima do nosso. A alegria e gritos foram gerais no TS quando a tela de todos os jogadores da NewUnion se encheu de flores mostrando que havíamos conseguido a base. Eu chorei muito, foi lindo a união de todas as pessoas pela causa, e o resultado ser positivo fechou tudo com chave de ouro. Acabei parando de jogar por o jogo me decepcionar com a quantidade de diárias, que não deixava explorar as outras funcionalidades melhor e os cashers, que conseguiam uma vantagem muito grande.

Mesmo não saindo de casa eu passei por várias coisas em todos esses jogos, conheci muitas pessoas, ri, chorei, revoltei, gritei e permaneci forte até o fim das minhas jornadas. Cada um desses jogos que eu vivi por uma parte de minha vida merecem serem melhor contados. Esse post só foi um geral, eu sei que poderia ter escrito melhor, queria poder ter me expressado melhor. Muitas pessoas vão ler e não entender o que eu digo aqui, outras talvez se emocionem lembrando de suas próprias aventuras, desde os tempos que nem sabiam o que era skill até o momento que lideraram uma guild. Posso estar longe de MMOs há algum tempo, mas não quero que minhas histórias de healer acabem por aqui. 
E por que sempre uma healer? Começou simplesmente pela Eir, do Lunia, ser a única personagem feminina na época. Conforme eu jogava com ela, começava a tomar um amor muito grande por curar, poder ajudar um grupo e fazer essa diferença. Eu acabei não conseguindo ser outra coisa além de sacer, quando jogava com outra classe não sentia ser eu. Minha personalidade acabou se encaixando no perfil da healer do grupo, que muitas vezes se sacrificava para todos saírem salvos ou se jogava em uma multidão de players de outra nação para conseguir salvar a relíquia da templária. Na minha humilde opinião, a melhor sensação do RPG é a que os healers sentem, quando conseguem lançar uma cura no último segundo, chegar no momento crucial e fazer o rodízio perfeito de curas durante um ataque massivo. Afinal, a vida de todos está em suas mãos. 

Como o Kirito (Sword Art Online) disse: "É um mundo virtual, mas eu me sinto mais vivo aqui do que no mundo real".

Alguns outros jogos que eu joguei por um tempo menor:

Eden Eternal

Allods
Flyff
Dragon Nest
Não sei como mais vivi até hoje, como Luna ou Gabriele. Só sei que com o passar dos tempos elas pararam de ser duas pessoas diferentes: As duas começaram a se tornar a mesma pessoa. Não sei se foi a coragem de uma assumir os defeitos e qualidades da outra ou todas as dificuldades e felicidades que passei.

Para quem não conhece o anime Sword Art Online ainda, deixo a abertura do anime aqui =3







2 comentários: